icone menu

Artigos

Fundo do poço

Por Douglas Brito

Você chegou ao fundo do poço, ou pelo menos acredita que sim. Você tem duas opções, ou permanece nele repetindo suas ações que o levaram a ele, ou cria novas ações para sair dele. A decisão é somente sua.

A chegada ao fundo do poço, ou próximo a ele, induz à depressão e conseqüentemente à inércia. O sofrimento surge e, com ele, a falta de forças e de esperança para lutar. Só existe um responsável para sua chegada a esse nível; você! Mas não adianta se culpar pelas ações que o levaram a essa situação, elas são parte do passado, não podem ser alteradas, mas podem ser revistas. As suas ações devem ser centradas no hoje, pois somente dele você tem certeza. Só pense no amanhã quando ele se tornar hoje. A sua primeira ação no “hoje” deve ser de reflexão: “fazendo o que estou fazendo, me manterei nessa posição, ou pior ainda, poderei descer ainda mais”.

O fundo do poço é relativo, possui vários níveis e depende da sensibilidade e força interior de cada um. Sua segunda ação é querer sair dele e, para isso, você tem que lutar contra seu principal opressor, você mesmo. Você tem que querer e se deixar ajudar, caso contrário, só lhe restará permanecer nele ou até descer ainda mais. O que fazer se lhe faltam perspectivas?

Existe dentro de cada um de nós uma mola propulsora que gera forças para que todas nossas ações positivas sejam reativadas e, com elas, os bons resultados. A endorfina é essa mola propulsora, um hormônio que nos proporciona uma sensação de bem-estar e, por reação em cadeia, induz todo o organismo e reagir para a harmonia de todo o corpo. Seu raciocínio se expande, sua visão se amplia, permitindo que você veja saídas antes obscuras. Como fazer para ter a endorfina liberada?

Existem várias formas de se obter a endorfina: Caminhadas diárias, natação ou hidroginástica, exercícios físicos aeróbicos de baixo impacto, yoga, Tai-chi, musicoterapia, risoterapia, assistir a um bom filme que lhe faça dar boas gargalhadas e sexo. Na situação em que você se encontra, você deve procurar a forma mais fácil para obtê-la, uma delas é a caminhada diária. Não lhe custará nada, somente sua força de vontade em querer sair do fundo do poço, caminhando diariamente por 40 minutos. Existe uma técnica para obter o máximo de suas caminhadas. Solicite-me e lhe enviarei. Aceitar a situação, cruzando os braços sem lutar, ao invés da endorfina, você terá liberação do cortisol, o hormônio do estresse. Nesse caso, o mundo desabará sobre você.

Pronto, você reagiu e optou por caminhar todos os dias ou escolheu outra opção mais favorável. Você está com a endorfina em dia, já consegue sorrir e seu raciocínio está mais claro. Mude radicalmente! Fazendo o que você vinha fazendo, você incorrerá nos mesmos erros. Adquira uma agenda e relacione todos os seus compromissos presentes e futuros, mas veja somente os do dia. Procure dormir o necessário, ou seja, acordar quando sentir vontade. Em média, são necessárias oito horas de sono, mas isso varia de pessoa para pessoa. Durma no momento que sentir sono, não o segure vendo TV ou outra atividade. Se for possível, faça um bom relaxamento antes de dormir (muscular e respiratório). Acorde, não seja acordado. Deixe a natureza agir em seu sono. Ao acordar, agradeça ao seu Deus por estar vivo e ter a oportunidade de viver mais um dia. Pela manhã, tome um bom banho, como se estivesse “limpando” seu corpo para um novo dia. Após vestir-se, mire-se no espelho, dê um belo sorriso e um bom abraço em você mesmo. Repita: “sou a pessoa mais importante de todo o universo, sou único, não existe outro igual a mim, sou especial”. Isso não é narcisismo, é valorização de sua pessoa, para que sua auto-estima se eleve. Você só poderá ajudar outras pessoas se estiver com a auto-estima em alta. Se ajude, para depois ajudar. “Dois sacos vazios não param em pé”.

Seu dia começou. Você massageou o seu ego e reconheceu que tem valor. Esse reconhecimento tem que ser seu, não de outras pessoas. O reconhecimento delas virá após o seu reconhecimento. Lembre-se, sua mente é um computador, tudo que você disser ou pensar, será registrado e posteriormente acontecerá. Sua mente cumpre ao pé da letra tudo que lhe é enviado, seja bom ou ruim. Pronto, você cuidou de sua mente, agora falta cuidar de seu corpo.

Faça um bom desjejum, você tem uma manhã pela frente. “Mente sã em corpo são” Procure ter os três pontos da alimentação equilibrada: construtores: proteínas – reguladores; vitaminas e sais minerais e energéticos – carboidratos e gorduras. Procure fazer um bom equilíbrio entre eles. Procure fazer pelo menos três refeições diárias.

Agora você tem que direcionar sua atenção para as suas atividades do dia. Abra sua agenda no hoje, esqueça o ontem e o amanhã. Procure visualizar a primeira atividade do dia e se concentre nela, somente nela. Não queira fazer tudo de uma só vez. Analise todos os pontos para solucioná-la. Para todo problema tem uma solução, pois se não existir, deixa de ser um problema para ser uma realidade. A realidade não se discute, aceita-se, passa-se por cima ou contorne-a. Lembre-se: “não existe negativo sem positivo”. Quem procura acha. Valorize o positivo.

Para que sua auto-estima permaneça sempre em alta, seu dia deve ser divido em três partes: oito horas de sono, oito de trabalho e oito de divertimento ou lazer, dedicado a você e à sua família. Não “roube” horas de uma fase para outra, caso contrário, o desequilíbrio resultará em prejuízo para você. Seja fiel a esse trinômio.

Ao findar o seu dia, agradeça ao seu Deus por tê-lo permitido vivê-lo e, a você por realizá-lo. Amanhã será um novo dia e será melhor do que hoje, pois você assim o quer e deseja.

 

Você merece e precisa ser feliz.

 

 

Artigos recentes

Mulher com sacolas de compras
Compulsão por compras

Oniomania – é o nome clínico deste transtorno psicológico, mais conhecido como consumismo compulsivo. Esta patologia – compulsão por compras foi considerada uma doença apenas recentemente, na década de 1980. Não existem estudos que comprovem as causas dessa doença, mas há algumas possibilidades. Uma delas está relacionada com a história comportamental da família do indivíduo. […]

Máscara pendurada no guidão da bicicleta
Isolamento social: equilibrando o corpo e a mente

As atividades de entretenimento e os exercícios físicos contribuem com o bem-estar durante o confinamento As medidas de isolamento social recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter a propagação do novo coronavírus impuseram uma nova rotina a milhões de pessoas. A interrupção do convívio social e a necessidade de implementar cuidados rigorosos com […]

Jovem distraído na escola
Inquieto ou Hiperativo

Qual a diferença entre a agitação natural das crianças e o transtorno de déficit de atenção? Certos sintomas de desatenção e hiperatividade ansiosa podem ser considerados normais em crianças que acabaram de passar por situações traumáticas como a perda de uma pessoa querida ou alguma frustração importante. Nesses casos, em geral as manifestações são passageiras. […]

Um Comentário

  • Maria José Santana disse:

    Gostei do artigo: Fundo do poço. Eu quase cheguei no fundo do poço, praticamente todo este ano foi bastante difícil, tantas coisas aconteceram. A pandemia, a perda do meu ex pároco, que para mim foi um pai espiritual, ajudou-me muito na minha caminhada vocacional. Depois faleceu o bispo de minha Diocese de covid, outro choque, por fim partiu para casa do Pai celeste, meu querido e inesquecível pai biológico. Haja coração para aguentar tantas coisas, já não vinha bem desde o ano passado. Resolvi voltar a fazer a terapia. Estou me sentindo bem melhor, ainda não sai completamente do fundo do poço, mas estou a caminho. Bendito seja Deus que me socorreu e não me deixou afundar de vez. Eu decidi sair do fundo do poço. Obrigada por este artigo tão rico. Minha gratidão ao Dr. Douglas.

  • Escreva um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *